Fátima vence Mação num jogo em que ficou dois penaltis por marcar

Numa tarde fria, com o sol a espreitar por períodos, encontraram-se no Agostinho Pereira Carreira para o derby distrital as equipas do Mação e do Fátima. Com os maçaenses na cauda da tabela e o Fátima numa posição cómoda, a meio da classificação, esperava-se que o factor casa pudesse ser determinante para o desenrolar da partida.
A equipa de Rui Pedro Gaivoto não podia ambicionar melhor arranque. Com as equipas ainda a encontrem o posicionamento, Tiago Vieira teve uma arrancada veloz pelo lado esquerdo e assistiu João Marchão ao segundo poste que, apesar da oposição de João Vitor, fuzilou as redes à guarda de Fábio.
A partir do quarto minuto o Mação passava para a frente do marcador. A ganhar, a equipa da casa não se remeteu à defesa e o jogo ganhou animação com lances interessantes junto de uma e outra baliza.Aos sete minutos o tunisino Hamza tem um bom remate a que se opôs valorosamente Chico Sousa.

Responde o Mação no minuto seguinte quando o veterano Laranjeiro tem um passe mal medido, interceptado por João Marchão que foi até à área, proporcionando vistosa defesa a Fábio.Aos 13 minutos João Vitor respondeu a cruzamento da esquerda bem medido. Cometeu falta atacante prontamente assinalada.
O jogo entrou numa fase de acalmia com as equipas a trocarem a bola muito atrás, com alguma dificuldade em saírem em transições seguras.
Aos 29 minutos o irrequieto Miguel Pereira tentou a sorte de longe. Valeu a atenção de Chico Sousa.Na resposta, à passagem da meia hora, Lucas cruzou largo e à semelhança do golo encontrou Marchão ao segundo poste. O bonito pontapé de bicicleta encontrou o guarda redes Fábio.
Pouco depois, aos 33 minutos, os fatimenses beneficiaram de um livre e João Vitor cabeceou por cima.

Aos 37 minutos Lucas Reis engrenou uma mudança alta e procurou a linha de fundo pela esquerda. Sofreu carga dura, recompôs-se e foi até à cara do guarda redes solicitando uma enorme defesa de Fábio.
Dois minutos depois João Marchão, muito participativo no jogo pela ala direita, recebeu e acelerou para um bom remate a que Fábio respondeu com valorosa defesa para canto.
Na sequência do canto, Glady é derrubado na área e o árbitro do encontro, o conimbricense Pedro Tomás, assinalou falta atacante a Glady a vinte metros do limite da área…!Foi com o “caldo entornado” e num ambiente de enorme contestação que se ouviu o apito para o intervalo. Havia que serenar os ânimos e proceder a acertos nas tácticas.
Nuno Kata deixou o marroquino (naturalizado francês) Wassim nos balneários e lançou aquele que viria a ser o “homem do jogo”, o ucraniano Jeka.

Hamza abriu as hostilidades logo aos 47 minutos com o remate de muito longe a sair ao lado.Cinco minutos depois foi Filipe Sousa a usar a mesma solução para ameaçar a baliza de Chico Sousa. Saiu por cima.
Na resposta Faia subiu à área contrária, tentou cruzar e o esférico foi cortado com a mão por um defensor saindo pela linha lateral.
Ficou (mais) um penálti por assinalar…À passagem do quarto de hora do segundo tempo, o esforço de Chico Sousa, a defender para a trave um livre bem executado, foi inglório: o lance estava anulado por fora de jogo.O Fátima procurava chegar ao golo mas o acerto defensivo dos maçaenses ia contrariando esse propósito.

Aos 67 minutos Bruno Lemos obrigou o guarda redes do Fátima a ceder canto num livre com boa conta.No minuto seguinte Faia cabeceou para a baliza mas o lance já havia sido interrompido por posição irregular. Com o jogo dividido pelos dois meios campo e com ocasiões divididas começava-se a acreditar que o Mação iria conservar a vantagem. Só que aos 78 minutos uma figura começou a emergir. Jeka, solicitado a cabecear, na sequência de um livre da esquerda, fê-lo da melhor maneira, batendo Chico Sousa.Pouco depois a equipa de Mação voltava a hipotecar as hipóteses de um bom resultado.

Bruno Lemos viu o cartão amarelo em dois lances sucessivos, aos 81 e 82 minutos, e a sua equipa ficou a jogar com apenas dez elementos.
Aos 87 minutos um cruzamento do lado esquerdo do ataque fatimense volta a encontrar Jeka em boa posição para faturar e este não falhou, carimbando a vitória dos comandados de Nuno Kata.
Com pouco tempo para jogar, o Mação correu atrás do prejuízo e reclamou uma pretensa mão na bola após cabeçada de Faia já dentro da área.
João Vitor, na resposta, obrigou o guarda redes maçaense a enorme defesa para canto, do qual nada resultou e coincidiu com o apito final do contestado árbitro Pedro Tomás.

A vitória assenta bem ao Fátima, pela eficácia de Jeka, mas é demasiado penalizadora para a boa exibição e empenho dos jogadores do Mação.
A equipa de arbitragem teve uma tarde para esquecer depressa… Demasiados erros, grandes penalidades por marcar e uma arrogância desnecessária. Esteve bem na expulsão. Nota negativa.

MEDIO TEJO.NET

Campo Agostinho Pereira Carreira

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 1
Chico Sousa, Simão Moreno, Gonçalo Lélé, Glady, Tenta Maeda, Filipe Faia, Esteves, Bruno Lemos, João Marchão (Patrick), Tiago Vieira e Lucas Reis.
Suplentes não utilizados: Renan, Bruno Araújo, Miguel Luz, Litos, Luís Alves e Rodrigo Ribeiro.
Treinador: Rui Pedro Gaivoto

CENTRO DESPORTIVO DE FÁTIMA-SAD 2
Fábio, Wassim (Jeka), Jefferson, Hamza, Filipe Sousa, Zé Miguel, João Vitor, Rui Rodrigues (Miguel Neves), Miguel Pereira, Calila (Pedro Henriques) e Laranjeiro.
Suplentes não utilizados: João Sardinha, Thomas, Yago e Miguel Artur.
Treinador: Nuno Kata

GOLOS:João Marchão (Mação) e Jeka [2] (Fátima)
EQUIPA DE ARBITRAGEM:Pedro Tomás, Nuno Guerra e Ricardo Vinagre (AFCoimbra).

Você pode deixar um comentário, ou um link a partir do seu site.

Escreva um comentário

Tem de efectuar log in para comentar o artigo.

Criado por pombaldir.com Nenhuma parte deste site pode ser reproduzido sem a autorização do jornal "O Derbie" Sugestões e Criticas a este site: [email protected] ou 968 628 512 e 236 217 163